Tragédia em Parnaíba. Advogado mata namorada e comete suicídio após suposta discussão


Segundo uma testemunha, o advogado atirou na namorada após uma discussão.

Por volta das 11h da manhã desta sexta-feira (11), mais um crime de homicídio seguido de suicídio foi registrado na cidade de Parnaíba (PI).

Informações extraoficiais relatam que o advogado e oficial da Justiça Federal do Trabalho, Júlio Cesar Brandão Júnior, matou com um tiro sua namorada, identificada como Kênnia Nunes, após uma discussão ocorrida na sala de casa. Após o crime, Júlio teria ido a seu quarto, onde com dois tiros tirou sua vida, um na altura do peito e outro na cabeça. A polícia ainda investiga a dinâmica do crime e, somente a perícia poderá atestar a real quantidade de tiros disparados no interior da residência, localizada no Bairro São Judas Tadeu.


O Major PM, Adriano Lucena, esteve pessoalmente na cena do crime, juntamente com peritos do Instituto de Criminalística. A polícia foi acionada pelo caseiro da residência, que testemunhou o ocorrido.

Os corpos das vítimas foram retirados por volta das 14h20, para o Posto Avançado do Instituto Médico Legal de Parnaíba, para exames mais detalhados. Ainda segundo pessoas próximas ao advogado, o mesmo apresentava sinais de depressão.


Na página de seu perfil no facebook, Júlio escreveu: “Estou cansado, muito cansado de tudo... não é a batalha que cansa, mas a indiferença e insensibilidade o descaso das pessoas para com você...”

Imagem: Facebook

Outras hipóteses para o crime ainda não foram descartadas e, somente após a finalização do inquérito policial, a polícia apontará se houve realmente homicídio seguido de suicídio.

Foto recente publicada no perfil de Kênnia Nunes. Imagem: Facebook

Redação Portal F5

Tragédia em Parnaíba. Advogado mata namorada e comete suicídio após suposta discussão Tragédia em Parnaíba. Advogado mata namorada e comete suicídio após suposta discussão Reviewed by Redação on 15:11 Rating: 5

Nenhum comentário:

Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.