Greve dos professores da rede estadual continua por tempo indeterminado no Piauí

Manifestação dos professores (Imagem: Lucas Dias/GP1)

Durante a assembleia desta terça-feira (23), poucos sindicalistas se irritaram devido algumas decisões do Sinte.

Na manhã desta terça-feira (23), o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte) realizou uma nova assembleia no Teatro de Arena, no Centro de Teresina, onde ficou decidido pela continuação da greve que começou no dia 15, data em que seria o reinício do ano letivo nas escolas públicas estaduais do Piauí. 

O sindicalista Wallyssom Ferreira comentou uma decisão do Governo do Estado que vai contrária ao movimento grevista: “Cortar os pontos dos professores grevistas é intimidação e isso não tem veracidade. Estamos fazendo uma greve forte e grande. Estamos lutando pelos nossos direitos garantidos em lei, que é o pagamento do piso. Vamos seguir a agenda do governador e da Secretaria de Educação e onde eles forem, nossa intenção é acompanhar e incomodar eles”, afirmou durante discurso na assembleia.

Manifestação (Imagem: Lucas Dias/GP1)

Durante a assembleia, o sindicato rebateu também a opinião de alguns comunicadores sociais que ofenderam os funcionários da Seduc. “Muitos trabalhadores estão indignados com a fala de alguns jornalistas que estão chamando os professores de mercenários. O Sinte vai fazer manifestação também em frente a esses veículos de comunicação”, disseram. “Mas não vamos esquecer que o nosso inimigo é o Governo”, finalizaram.

Professores em protesto de reajustes de salários (Imagem: Lucas Dias/GP1)

A manifestação terminou em frente ao Palácio de Karnak, sede do Governo Estadual. Durante o movimento de hoje, estiveram presentes funcionários públicos da Secretaria de Educação (Seduc) de várias cidades do Estado, como Picos, Piracuruca, Barras, Oeiras, entre outras. Haverá uma nova assembleia na próxima segunda-feira (29).

Professores protestam por melhores salários (Imagem: Lucas Dias/GP1)

Denúncia

Durante a assembleia de hoje, um sindicalista denunciou que não haverá o Mais Educação nesse ano nas escolas do Estado, mas em entrevista ao GP1, a Diretora da Unidade de Gestão E Inspeção Escolar, Ana Rejane, afirmou que o programa só deve começar após liberação do Ministério da Educação devido está havendo uma nova roupagem do mesmo, o que é comum em todos os anos.

“Essa liberação só acontece a partir de março. Nas escolas que ele é implantado, o objetivo é de inserir os alunos de ensino fundamental, que têm dificuldade com português e matemática e isso só ocorre após o começo das aulas, que deveriam ter sido em fevereiro, e apenas para aqueles alunos que foram constatadas dificuldades de aprendizado nas disciplinas de português e matemática”, disse.

Professores vão para a rua protestam por melhores salários (Imagem: Lucas Dias/GP1)

Divergências

Durante a assembleia, alguns sindicalistas se irritaram com algumas decisões do Sinte. “A Presidente faz o que quer com a categoria. Não deixa as outras pessoas falarem”, falou o senhor Sá Batista, funcionário da educação estadual em Teresina. “Nós temos uma lista de inscritos em todas as assembleias e a gente tem que seguir essa lista, mesmo isso não ocorrendo hoje”, complementou a Professora Lurdes.

Sá Batista (Imagem: Lucas Dias/GP1)

Professora Lurdes (Imagem: Lucas Dias/GP1)

Fonte: GP1
Greve dos professores da rede estadual continua por tempo indeterminado no Piauí Greve dos professores da rede estadual continua por tempo indeterminado no Piauí Reviewed by Redação on 15:17 Rating: 5

Nenhum comentário:

Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.