Mesmo com fraude, TJ-PI diz que não há motivos para anular concurso

Cerca de 60 pessoas estão sendo investigadas por tentativa de fraude do certame.

O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador Raimundo Eufrásio, informou durante uma coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (30/03), que não anulará o concurso que em cerca de 60 pessoas estão sendo investigadas por tentativa de fraude do certame.

“Não encontramos elementos para anular o concurso, porque todos os envolvidos, tanto os participantes como os intervenientes, foram, de uma forma ou de outra, identificados e eles estão afastados do certame e não vão auferir nenhum benéfico com isso”, explicou o desembargador.

Concurseiros fazem abaixo-assinado pedindo anulação do concurso do TJ-PI

O concurso foi realizado no dia 20 de dezembro de 2015, e nesta terça-feira (29/03), a polícia entregou o resultado da investigação para o Judiciário, ainda de acordo com o desembargador. “O relatório do inquérito policial, [apontou] todos que tentaram fraudar e os que fraudaram… E essas pessoas não fazem parte do elenco que vai ser convocado entre os aprovados”, completou Raimundo Eufrásio.

FRAUDE NÃO TEVE ÊXITO, DIZ TJ

José Airton, que é integrante da Fundação Getúlio Varga, (FGV) realizadora do concurso, diz que a fraude não teve êxito, por isso o concurso permanece valendo. “Não houve fraude, o que houve foi uma tentativa de fraude, é preciso que isso fique claro. A FGV, em razão dos meios que dispõe, detectou uma tentativa de fraude no concurso púbico do Estado do Piauí, utilizou-se de sua inteligência e da inteligência da Polícia Civil do Estado Piauí e pessoas foram identificadas ainda no mesmo dia [do certame]”, destacou.

Por conta das informações iniciais foram instauradas investigações para que se pudesse aprofundar o conhecimento sobre a ação. “Ao concluir o inquérito que estava em andamento, a polícia resolveu por indiciar 21 pessoas e prosseguir com a investigação com relação a algumas outras que ainda não há elemento conclusivo”, completou José Airton.

O integrante da comissão da FGV também informou que ao todo, cerca de 60 pessoas foram indiciadas ou estão sendo objeto de investigação, dessas, aproximadamente 50 eram candidatos. Todas essas pessoas foram identificadas e serão eliminadas, com base no que dita o item 15.26, que autoriza a empresa realizadora do concurso a eliminar candidatos que usem de meios ilícitos na realização da prova.

O Tribunal de Justiça do Piauí emitiu uma nota de esclarecimento sobre o caso.

Leia na íntegra:

Nota de Esclarecimento

Após análise percuciente das provas produzidas pela Polícia Civil do Estado do Piauí, nos autos do Inquérito Policial nº 0030676-96.2015.8.18.0140, em conjunto com a Fundação Getúlio Vargas, responsável pela realização do concurso público para provimento de cargos efetivos do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, esta Presidência entendeu pelo prosseguimento do concurso, autorizando a Fundação Getúlio Vargas a publicar o resultado preliminar, eliminando todos os candidatos que foram indiciados no aludido Inquérito Policial, ou que estejam sendo investigados em processo autônomo, nos termos do subitem 15.26 do edital de abertura do certame.

Fonte: O Olho
Mesmo com fraude, TJ-PI diz que não há motivos para anular concurso Mesmo com fraude, TJ-PI diz que não há motivos para anular concurso Reviewed by Redação on 20:06 Rating: 5

Nenhum comentário:

Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.